Impresso em: 28/11/2020 06:09:42
Fonte: http://www.redeto.com.br/noticia-492-mais-famoso-cartao-postal-de-araguaina-replica-do-cristo-vira-cenario-de-vandalismo-e-abandono.html

Mais famoso cartão-postal de Araguaína, réplica do Cristo vira cenário de vandalismo e abandono

22/03/2013 08:25:47

REDETO

REDAÇÃO


Ele é considerado um dos principais cartões-postais de Araguaína. É visível de quase todas as partes da cidade. Às vezes com um ponto minúsculo, é claro, mas não menos marcante. De braços abertos, olhar vigilante e sereno, a réplica do Cristo Redentor, inaugurada em 2007, dificilmente passa despercebida por quem visita a segunda maior cidade do Tocantins.

Com ar imponente, o monumento representa uma tentativa de se criar uma identificação visual para Araguaína, de embelezar a cidade, de tentar suprimir a carência de pontos turísticos. Esquecido pelo poder público, contudo, o Cristo, atualmente, simboliza mais o descaso que a renovação. Sem qualquer trabalho de manutenção, ele vai perdendo dia após dia um pouco de sua graça. É o que mostra esta reportagem da REDETO.

 

 
                                                     Réplica do Cristo, mais famoso cartão-postal de Araguaína  



Cristo: de braços abertos, mas nem tanto

Tudo começa ainda na chegada ao monumento. Com as chuvas dessa época do ano, o lamaçal dificulta o tráfego na rua que leva até o Cristo. O risco de atolar é grande. Moto, carro, bicicleta, não importa. Passar por lá é um desafio que exige paciência e cuidado redobrados. Qualquer descuido e você pode ir parar no meio da lama. O estudante Melquisedeque de Almeida sabe bem disso e antes de vir com a namorada visitar o cartão-postal já a adverte: “o passeio vale a pena pela vista”.

 

 
                               Rua que dá acesso ao Cristo: qualquer descuido e você pode parar no meio da lama  



E que vista. Do alto da colina onde fica o monumento, é possível ter uma visão privilegiada da cidade. É de encher os olhos. Mas a contemplação do horizonte contrapõe-se a um sentimento de revolta em relação às condições do local. “É uma área tão privilegiada, deveria ter uma atenção especial do poder público”, contou Melquisedeque.

As marcas do abandono estão por toda parte. Na pracinha, anjos de metal enferrujados, alguns sem cabeça. Há cacos de vidro espalhados. Diferente das outras praças da cidade, não há bancos. As plantas ornamentais não são podadas faz algum tempo. Faltam lixeiras. A maior parte das lâmpadas que deveriam iluminar a réplica está quebrada.

 

 
                                  Anjos de metal da pracinha do Cristo: enferrujados e sem cabeça  



Nos degraus da escada que dá acesso ao Cristo, infiltrações. Na base do monumento, pichações de todos os tipos. A estátua está tomada por rachaduras. A sala que fica abaixo do monumento, que deveria servir de espaço para exposições artísticas, está vazia e fechada. A estrutura é precária, com a água escorrendo pelo piso e o teto se desfazendo. O odor de mofo também é intenso.

 

 
 

 


A única assistência versus a depredação

Para não dizer que o poder público esqueceu por completo o Cristo, pode-se afirmar que a Prefeitura paga, atualmente, duas pessoas para vigiar o monumento. Ronaldo Morais é uma delas. Desprotegido, já que não tem posse nem porte de arma, ele fica metade do dia, enquanto o colega cuida do do local a outra metade.

 

 
            Segundo vigilante, o maior problema do Cristo são os vândalos. Acima garrafa quebrada por um deles  


De acordo com o vigilante, o maior problema do Cristo não é a falta de atenção dos gestores municipais, mas sim o horror praticado por vândalos. “Até um tempo destes, não tinha ninguém para fazer a guarda do local. E mesmo com a gente aqui, eles não se inibem e praticam danos. Quebram lâmpadas e garrafas, picham, sujam, alguns vem só para beber... enfim, deixam a sua marca. Quando a gente vai falar alguma coisa, nos ameaçam”, explicou Ronaldo.

O que diz o poder público

Em entrevista a REDETO, o Secretário Municipal de Cultura, Wilamas Ferreira, informou que a Prefeitura de Araguaína está realizando um levantamento nos principais logradouros públicos da cidade, incluindo o Cristo, para que sejam elaborados projetos de reforma e melhoria.

Segundo ele, não há prazo para que este trabalho seja finalizado, mas a ideia é conclui-lo com a menor brevidade possível. “Estamos levando arquitetos em vários cantos da cidade, para que possamos realizar um levantamento das principais necessidades dos logradouros público. O Cristo, que fica em uma pracinha que também será reformada, ainda não foi visitado, mas isso deve acontecer em breve”, afirmou o secretário.

Ao longo dos últimos anos, foram muitas as promessas de reforma do Cristo. Na administração passada, a Prefeitura prometeu revitalizar o local com um projeto de R$ 60 mil, mas a ideia não saiu do papel.