Impresso em: 23/02/2018 19:33:45
Fonte: http://www.redeto.com.br/noticia-647-abandonada-praca-das-bandeiras-vira-ponto-de-consumo-de-drogas.html

Abandonada, Praša das Bandeiras vira ponto de consumo de drogas

30/03/2013 01:56:52

REDETO
REDAÇÃO

A REDETO está apresentando nesta semana um especial sobre a situação de algumas praças importantes da cidade de Araguaína. Na primeira reportagem, foram abordadas as condições da Praça São Luiz Orione, no centro da cidade.Com quatro décadas de história, o local é, atualmente, abrigo de mendigos e vitrine para oportunistas. Nesta quinta-feira, 28, a Rede Tocantins de Notícias mostra o estado em que se encontra a Praça das Bandeiras.
 

 


Ponto de drogas

Duas crianças. Olhos vermelhos, assustados. Ao ver a nossa equipe, um deles esconde as pedras de crack que alguns minutos atrás eram consumidas, ali mesmo, ao lado do chafariz da Praça das Bandeiras, à vista de quem quisesse ver. Assim que percebem que somos da imprensa, os jovens saem em disparada pela praça. Fogem das perguntas, mas dificilmente conseguirão escapar do triste fim imposto aos que foram enganados pelas drogas.

O taxista Edson Sousa, que trabalha no ponto de táxi da Praça das Bandeiras, conta que é cada vez mais comum encontrar cenas como esta flagrada pela REDETO. “Como não há nenhum tipo de policiamento por aqui, usuários se sentem a vontade para consumir a droga em qualquer canto da praça, à luz do dia, inclusive. Não têm pudor algum. São jovens, adultos... geralmente sujos, sem nenhuma esperança. Vivem na rua, abandonados à própria sorte”, explica ele.

O clima de insegurança faz parte da realidade do local, bastante movimentado em razão do terminal de passageiros instalado há cerca de 4 anos. São muitos os relatos que dão conta de que usuários de drogas, a fim de sustentar o vício, chegam a praticar pequenos assaltos na região. “Eles não estudam, não trabalham, e precisam de dinheiro para sustentar o vício, daí acabam partindo para o mundo do crime”, conta uma moradora da vizinhança, que preferiu não se identificar.

Mas o consumo de drogas e os crimes relacionados a ele são apenas alguns dos muitos problemas que comprovam o descaso em que se encontra uma das principais praças de Araguaína.

Depredação e abandono

A Praça das Bandeiras foi uma das últimas grandes praças reformadas pelo poder público municipal. Mas quem visita o local, sabe: as marcas do abandono estão por toda parte. A maioria dos monumentos está depredada. As lâmpadas do chafariz foram quebradas, há água parada no local. Há também lixo e sujeira.

 


As arquibancadas do principal monumento apresentam inúmeras rachaduras e infiltrações. Bandeiras foram arrancadas por vândalos. A água servida escorre pelo calçamento. O monumento à Bíblia está irreconhecível. “É uma vergonha isso aqui, uma praça no meio da cidade, onde a gente poderia trazer a família para passear, abandonada, suja, cheia de mendigos e drogados”, conta, revoltada, a auxiliar de serviços gerais Marlúcia da Conceição.
 


O terminal de passageiros, tomado pela lama nos dias de chuva e pela poeira em dias de sol, é um detalhe à parte nesta história. “A situação do terminal é precária. A pavimentação está tomada por buracos, que quando chovem, viram grandes poças de lama; o lamaçal deixa a praça ainda mais feia... mas o problema mesmo é no verão, quando os ônibus passam e deixam os frequentadores da praça comendo poeira”, afirma Edson.
 

 


Assim como a Praça das Nações, a Praça das Bandeiras também não tem banheiros públicos. Falta arborização. Há monumentos que foram pichados. O mato cresce nos canteiros. “Eu queria entender porque uma praça que foi reformada para ser a mais bonita da cidade encontra-se numa situação destas... é claro que a população também é culpada, já que muitos frequentadores praticam vandalismo, mas a maior responsabilidade é do poder público, que vê tudo se perder e não faz nada”, afirmou o autônomo Pedro Noleto.

 


O que diz o poder público

Em entrevista a REDETO, o secretário de cultura do município, Wilamas Ferreira, afirmou que a prefeitura está realizando um levantamento para apontar as condições de todas as praças. Só a partir da elaboração destes dados, explicou, será possível traçar soluções para os problemas de cada uma delas.