publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sábado, 25 de janeiro de 2020
Siga a REDE TO

Municípios

Moradores saem às ruas para pedir mais segurança em Porto

Polícia registrou homicídio e tentativa de assassinato neste fim de semana

26/10/2015 10h36 | Atualizado em: 27/10/2015 20h58

Divulgação/Ascom Ricardo Ayres Moradores de Porto Nacional realizaram protesto contra a violência na manhã deste domingo, 25: medo virou rotina no quarto município mais populoso do Tocantins

REDAÇÃO


Parte da rotina das três maiores cidades do Tocantins, Palmas, Araguaína e Gurupi, a violência passou a assustar também, nos últimos dias, os moradores do quarto município mais populoso do estado. Porto Nacional registrou um homicído e uma tentativa de homícidio no fim de semana. 

De acordo com a Polícia Militar, o primeiro crime aconteceu na noite de sábado, 24, no setor São Judas Tadeus. Ezequias Ferreira Rodrigues, de 30 anos, foi baleado com vários tiros. Alguns teriam atingido a cabeça do homem. Ele chegou a ser socorrido com vida, mas morreu na manhã do dia seguinte, no Hospital Regional de Porto Nacional.

A outra ocorrência foi registrada na madrugada de domingo, 25, no bairro Bem Bolado.
 Jânio Rocha Tavares Filho, de 18 anos, foi encontrado ferido, no banco traseiro de um carro no centro da cidade. Segundo a PM, o veículo colidiu contra um poste depois de ser alvejado. O rapaz foi baleado e levado para o hospital. No local, foram encontradas cápsulas de revólver calibre 38 e pistola 380.

A Polícia Civil (PC) informou que está investigando os casos e que até agora, não indícios de ligação entre eles. Ezequias teria sido executado. O motivo do acerto de contas ainda é desconhecido. Já a tentativa de homicídio contra Jânio ocorreu após troca de tiros cujas circunstâncias estão sendo apuradas. Até a conclusão desta reportagem, nenhum suspeito havia sido preso ou identificado. 

Protesto

Por causa do aumento dos índices de criminalidade, os moradores de Porto Nacional foram as ruas neste domingo protestar. Vestidos de branco e empunhando faixas, os
 manifestantes percorreram trecho entre a Praça do Centenário, no centro da cidade, até o cemitério, no setor Vila Nova.

A caminhada pela paz reuniu centenas de pessoas e pediu ações do poder público para combater a violência do município. Os participantes lembraram a morte do chefe de cartório 
Dimas Araújo Rocha, de 65 anos, baleado na cabeça após reagir a um assalto, no último dia 19, no município. A população cobra a prisão e a punião dos responsáveis pelo crime. 

 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.

  • Aguarde novas notícias.