publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quarta, 23 de outubro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Tocantinópolis: Nível do rio Tocantins preocupa moradores da região

Volume de água chegou a um dos pontos mais críticos já registrados

27/09/2016 22h00 | Atualizado em: 29/09/2016 14h07

Fotos: Divulgação/Dirceu Leno Por causa da queda no nível da água do rio Tocantins, barcos e canoas estão totalmente no seco

REDAÇÃO
 

Os moradores de Tocantinópolis, no extremo-norte do estado, estão preocupados com o nível do rio Tocantins. Nesta segunda-feira, 26, o volume de água chegou a um dos pontos mais críticos já registrados. Em vários trechos do leito, é possível ver grandes bancos de areia e pedrais. 

Por causa da queda no nível da água, barcos e canoas estão totalmente no seco. A balsa que faz a travessia de passageiros e veículos entre Tocantinópolis e Porto Franco (MA) teve seu funcionamento interrompido. Pescadores, por sua vez, reclamam da falta de peixes. 

Os condutores das embarcações que ainda conseguem atravessar o rio afirmam que o trajeto precisa ser feito com atenção redobrada para evitar acidentes. 

De acordo com a Prefeitura de Tocantinópolis, que divulgou fotos do rio na internet, a vazão do rio teria sido alterada para que a Usina Hidrelétrica de Estreito (MA) gere mais energia. 

"Um dos fatores que contribuem para esta triste realidade, além da seca e a falta de chuva, é a Hidrelétrica de Esteito-MA, que desde que foi construído e entrou em funcionamento, o nível do Rio Tocantins vem oscilando periodicamente. Esse é um dos fatores que acrescenta em muito para o quadro deplorável e preocupante do qual se encontra o Rio Tocantins", destacou a prefeitura. 

Outro lado

Em nota, o Consócio Estreito Energia (Ceste) informou que a Hidrelétrica de Estreito é uma usina que não armazena a água, chamada de fio d'água, e o volume que entra está equilibrado com o que sai do reservatório.

"A vazão é regularizada com base no que está naturalmente entrando no rio. Esse controle é feito pelo Operado Nacional e a redução está alinhada com a gestão integrada do rio do Tocantins", explicou. 

Ainda de acordo com o Ceste, o rio Tocantins está em seu período natural de menor vazão no ano e, além disso, está com 50% a menos de água do que a média história para o período por causa da forte estiagem.


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.