publicidade
publicidade
Max:37° Min:19°
Araguaína
Araguaína-TO, terça, 26 de setembro de 2017
Siga a REDE TO

Rede 190

Polícia prende suspeita de matar e enterrar mulher em chácara

O crime aconteceu em dezembro de 2015, na zona rural do município

16/05/2017 19h11 | Atualizado em: 19/05/2017 16h47

Divulgação/SSP-TO Diran Bispo dos Santos, de 33 anos, foi detida, na tarde desta terça-feira, 16, em Dianópolis, na região sudeste do Tocantins

REDAÇÃO


Uma mulher foi presa nesta terça-feira, 16, suspeita de participar de um crime bárbaro em Dianópolis, na região sudeste do Tocantins. Diran Bispo dos Santos, de 33 anos, e o ex-marido, Wanderson Nascimento Sousa, vulgo “Dundum” são apontados como autores do assassinato de Marineis de Sousa e da ocultação do cadáver da vítima. 

De acordo com o delegado Afonso José de Azevedo Lyra Filho, a Polícia Civil (PC) solcitou a prisão preventiva de Diran depois que reuniu indícios do envolvimento dela com o crime. A Justiça atendeu o pedido e o mandado foi cumprido na tarde desta terça. A suspeita foi presa na casa da mãe dela, em Dianópolis. “Através das investigações, sabíamos que a suspeita, que estava residindo na zona rural da cidade, vinha frequentemente a Dianópolis para visitar a mãe e realizar tratamento de saúde, devido a uma lesão por violência doméstica. Desta maneira, monitoramos as ações da mulher e conseguimos efetuar sua prisão”, explicou a autoridade policial. 

Diran vai responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, cujas penas, somadas, podem chegar a 33 anos de reclusãoo. Ela foi levada para a Casa de Prisão Provisória (CPP) de Dianópolis, onde ficará até que surja uma vaga no sistema carcerário feminino do estado. 

O crime

Segundo o inquérito, no dia 25 de dezembro de 2015, Diran, Wanderson e Marineis foram até as margens de um córrego localizado na zona rural de Dianópolis, onde pretendiam acampar. Após várias horas ingerindo bebida alcoólica, os três tiveram um desentendimento. Na confusão, Wanderson e Diran assassinaram Marineis com golpes de pedra e tiros. A vítima teve o crânio esmagado. O corpo dela foi encontrado somente dois dias depois, em uma cova perto do local onde aconteceu o homicídio. 

O delegado informou que as investigações continuam com o objetivo de localizar e prender Wanderson, foragido desde a época do crime. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.