publicidade
publicidade
Max:33° Min:22°
Araguaína
Araguaína-TO, terça, 20 de novembro de 2018
Siga a REDE TO

Estado

São Bento: Fazenda é interditada por abate clandestino de bovinos

O dono da propriedade foi multado em R$ 5 mil e admitiu as irregularidades

26/10/2017 21h44 | Atualizado em: 30/10/2017 18h08

Fotos: Divulgação/Adapec Durante a fiscalização, foi constatado o abate de animais sem a menor estrutura e sem as mínimas condições de higiene, além de desobediência às normas de bem estar animal

REDAÇÃO
REDE TO


A Agência de Defesa Agropecuária interditou, na manhã desta quinta-feira, 26, uma propriedade rural por abate clandestino de bovinos, no município de São Bento do Tocantins, no extremo norte do estado. De acordo com a Adapec, a ação aconteceu após denúncia anônima feita na Ouvidoria Geral do Estado, informando a existência, no local, de um abatedouro clandestino. O proprietário foi multado em R$ 5 mil. Também participaram da operação, a Polícia Militar Ambiental e o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins).

Durante a fiscalização, foi constatado o abate de animais sem a menor estrutura e sem as mínimas condições de higiene, além de desobediência às normas de bem estar animal. “Suspeitando que a carne era comercializada nos açougues da região, encaminharemos essa demanda à Vigilância Sanitária para que proceda com a fiscalização no comércio varejista de alimentos”, explicou o inspetor de defesa agropecuária da Adapec, Dwany de Souza Carvalho.

Segundo o servidor da agência, a Lei Estadual nº 3136, de 14 de setembro de 2016, institui a obrigatoriedade de supermercados e açougues divulgarem a origem das carnes comercializadas.

O responsável pelas irregularidades relatou que os animais eram abatidos numa estrutura precária ou no próprio curral e as carcaças abatidas eram depositadas sobre a palha e transportadas sem refrigeração e sem as condições higiênicas até o comércio.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, afirma que a comercialização clandestina de produtos de origem animal, além de causar prejuízos econômicos põe em risco à saúde pública. “A população tem colaborado com as nossas ações e está mais consciente da importância de exigir produtos de qualidade para o consumo”, alerta.  


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.

  • Aguarde novas notícias.