publicidade
publicidade
Max:35° Min:22°
Araguaína
Araguaína-TO, segunda, 21 de maio de 2018
Siga a REDE TO

Estado

Mais de 900 pacientes aguardam por cirurgias ortopédicas no Tocantins

01/11/2017 20h36 | Atualizado em: 01/11/2017 20h41

Divulgação Acordo firmado na última segunda-feira, 30, visa regularizar cirurgias ortopédicas no estado

Cerca de 970 pacientes ainda aguardam na fila de espera para cirurgias eletivas nos hospitais públicos do Tocantins. A informação consta no Termo de Audiência que tratou sobre o caso das cirurgias ortopédicas no Tocantins, realizada na última segunda-feira, 30, na sala de audiências da 2ª Vara de Feitos e Fazenda de Registros Públicos. Uma nova avaliação dos casos e da espera por esses procedimentos está prevista para o próximo dia 20.

Na audiência, representantes da Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) apresentaram dados sobre a realização de cirurgias ortopédicas no Tocantins, por meio do Projeto da Força Tarefa da Cirurgia Traumato-Ortopédica. Segundo eles, foram realizadas, entre os meses de junho e outubro, cerca de 3,2 mil procedimentos cirúrgicos ortopédicos no Estado, no Hospital Geral de Palmas, Hospitais Regionais de Paraíso, Miracema do Tocantins, Porto Nacional, Gurupi e Augustinópolis. Desta forma, considerando que ainda há lista de espera para os procedimentos, ficou agendada uma nova avaliação nos hospitais para o próximo dia 20.

Audiência

A audiência de conciliação tratou da Ação Civil Pública proposta pela Defensoria Pública em atuação conjunta com o Ministério Público Estadual, ainda no mês de março deste ano, solicitando a viabilização imediata dos procedimentos ortopédicos. Foi apurado que a demora no atendimento, que chega em alguns casos a superar três meses, pode agravar o quadro clínico dos internos, ocasionar sequelas e até levar a óbitos.

O objetivo da Ação foi o de organizar a oferta dos serviços de ortopedia de modo a garantir o acesso, devidamente regulado pela Secretaria de Saúde, de todos os pacientes de responsabilidade do Tocantins que necessitam de procedimentos nessa especialidade.

Na audiência, ficou definido que o Estado realizará no mínimo 30 cirurgias eletivas por mês, a partir do dia 02 de janeiro do próximo ano. Após a entrega do Centro Cirúrgico anunciado pela Sesau, há a previsão de que essa meta aumente para 40 cirurgias por mês, sem o prejuízo de do serviço de urgência e emergência.

 

Com Ascom/MPE-TO

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.