publicidade
publicidade
Max:26° Min:23°
Araguaína
Araguaína-TO, terça, 20 de fevereiro de 2018
Siga a REDE TO

Municípios

Justiça manda estado providenciar defensor para comarca

22/11/2017 22h56 | Atualizado em: 22/11/2017 23h01

Divulgação/Rondinelli Ribeiro Comarca abrange, além de Ananás, outras três cidades do Bico do Papagaio: Angico, Cachoeirinha e Riachinho

Prover permanentemente, e com exclusividade, a Comarca de Ananás com um defensor público titular e manter a atuação contínua e ininterrupta do órgão de defesa da população são as obrigações que a Justiça determinou ao Estado do Tocantins, em uma sentença publicada na terça-feira, 22, pelo juiz Vandré Marques e Silva.

A decisão se deu em Ação Civil Pública em que o Ministério Público sustenta a necessidade do Estado do Tocantins manter um defensor público lotado permanentemente na Comarca, que abrange as cidades de Ananás, Angico, Cachoeirinha e Riachinho. Segundo a ação, a comarca possui apenas defensor substituto que atende apenas 12 pessoas por semana, com agendamento prévio.

Para o juiz, o quadro de defensores públicos é extenso e o Estado do Tocantins proveu dezenas de vagas criadas numa carreira extremamente valorizada nos últimos cinco anos, com “defensores capacitados, muito bem remunerados e ávidos por atender a população” e não há motivo que justifique a separação entre esses profissionais e a população da Comarca.

“Uma dinâmica de atendimentos sazonais, uma assistência deficitária e a ausência de defensores nas audiências deste Juízo (que oneram injustificadamente o Estado) não podem ser mantidas e perpetuadas sob o pretexto distorcido de se respeitar o poder discricionário do Estado do Tocantins acerca da lotação de seus servidores, visto que resta clarividente que o interesse público dos hipossuficientes, bem jurídico tutelado cujo resguardo é a missão da instituição Defensoria Pública, está ameaçado pela prostração consciente da Administração Pública”, afirma o magistrado, ao decidir pela condenação do Estado.

O juiz deu prazo de dez dias para o Estado cumprir a determinação.

 

Da Cecom/TJ-TO

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.