publicidade
publicidade
Araguaína-TO, segunda, 14 de outubro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

AOCP e PM do TO negam boato de que concurso foi suspenso

Comunicado falso foi compartilhado dezenas de vezes nas redes sociais

22/03/2018 16h45 | Atualizado em: 23/03/2018 15h11

Reprodução Comunicado falso compartilhado nas redes sociais diz que concurso da PM foi suspenso por causa de denúncias de fraude

REDAÇÃO
REDE TO


A AOCP, empresa reponsável pelo concurso público da Polícia Militar do Tocantins, negou, nesta quinta-feira, 22, que o certame tenha sido suspenso como informa um falso comunicado que viralizou nas redes sociais. O documento, com a logo da AOCP e da PM, dizia que o concurso estava
 "temporariamente suspenso por prazo indeterminado devido às recentes denúncias de fraude".

De acordo com a AOCP, o documento, com data de 22 de março, é falso. "O concurso da PM continua em andamento seguindo o cronograma publicado no edital", afirmou a empresa.

A Polícia Militar também desmentiu o boato, reforçando que deve ser divulgado até sexta-feira, 23, o gabarito oficial das provas objetivas correspondentes à 1º fase do certame. 

Na última terça-feira, 20, o governo do estado lançou o edital de seleção para a contratação dos instrutores que irão ministrar aulas no curso de formação. 

Abaixo-assinado

Na internet, há um abaixo-assinado com milhares de assinaturas pedindo a suspensão do concurso da PM. A alegação é a que de houve fraudes na aplicação das provas objetivas. A apreensão de um celular com um suposto gabarito em um local de prova em Araguaína e a violação do lacre de um envelope com provas em Arraias são citados como fatos suspeitos. Tanto a AOCP quanto a PM vem negando qualquer irregularidade. 

Sobre o concurso

Com gabaritos preliminares divulgados no último dia 12, as provas do concurso da Polícia Militar do Tocantins foram aplicadas no dia 11 de março, em Arraias, Taguatinga, Dianópolis, Natividade, Porto Nacional, Araguatins, Augustinópolis, Sítio Novo do Tocantins, Tocantinópolis, Wanderlândia, Gurupi, Alvorada, Formoso do Araguaia, Palmas, Paraíso, Miracema e Araguaína.

Cada prova tinha 60 questões valendo 100 pontos. Para soldado, o candidato deverá obter no mínimo 50% de acerto, tendo pelo menos um ponto em cada disciplina. No caso de oficial, a pontuação mínima é de 60% de acerto, tendo pelo menos um ponto em cada disciplina para ir à segunda etapa do certame.

Ao todo, mais de 86 mil pessoas se inscreveram no concurso, que oferece mil vagas para soldado e 40 para oficial. O índice de abstenção foi pequeno; de 18% para o cargo de soldado, cujas provas aconteceram pela manhã, e de 16% para o de cadete, com exames aplicados durante a tarde.

Além da prova objetiva, o concurso da PM conta ainda com as seguintes etapas: avaliação de capacidade física, avaliação psicológica, médica e odontológica e investigação social. O governo do estado informou que a previsão para o resultado final de todas as fases do certame é o mês de agosto deste ano. A convocação dos aprovados, porém, só deve acontecer no ano que vem.

Considerado um dos maiores já realizados no estado, o concurso da Polícia Militar do Tocantins atraiu candidatos de todo o país. E um dos motivos é o salário oferecido pela PM. Os subsídios iniciais, após os cursos de formação, são de R$ 4.455,46 para soldado e R$ 8.382,10 para aspirante a oficial.

 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.