publicidade
publicidade
Araguaína-TO, domingo, 22 de setembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

TO vai contar com R$ 1 bilhão de investimentos do Banco da Amazônia

R$ 910 mi são Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO)

29/03/2018 22h18 | Atualizado em: 04/04/2018 12h30

Divulgação Governador interino do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), e presidente do Basa, Marivaldo Melo, assinam protocolo que disponibiliza R$ 1 bilhão para investimentos no Tocantins

O Presidente do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo, e o Governador interino do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), assinaram, na quinta-feira, 29, o Protocolo de Intenções para Ações de Desenvolvimento Sustentável no estado. A cerimônia de assinatura ocorreu no gabinete do governador, no Palácio Araguaia. No Tocantins, o Banco da Amazônia disponibiliza mais de R$ 1 bilhão em recursos para este ano, sendo que do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) serão R$ 910 milhões.

O presidente Marivaldo Melo afirmou que a Instituição vai fomentar todos os setores da economia, incluindo os principais demandantes dos recursos no Tocantins que são Apicultura, Pecuárias de Corte e de Leite, Fruticultura, Grãos e Oleaginosas e Mandiocultura. Neste ano, o Banco vai operar com linhas diferenciadas como financiamento para estudantes integrantes do FIES (Programa de Financiamento Estudantil) e para aquisição de Energia Solar (Fotovoltaica), onde pessoas físicas e jurídicas poderão instalar placas de energia solar, seja em suas residências ou em seus empreendimentos.

De acordo com o presidente, a assinatura do Protocolo no âmbito do Estado traz um ganho considerável em eficiência na aplicação dos recursos do FNO disponíveis para o presente exercício, pois pactua com o estado, ações que proporcionem avanço na prestação de serviços dos órgãos da administração pública direta, bem como, de suas autarquias, traduzindo-se em eficiência no atendimento de toda sociedade que depende dos órgãos para a regularização de suas situações de ordem: fundiária, ambiental, tributária, etc. “Nesse contexto, o Banco envida esforços para em conjunto com os Governos e demais entidades da sociedade civil organizada, cumprir com seu papel e razão de existência, que é proporcionar o desenvolvimento da Amazônia em bases sustentáveis”, informou.

Parceria impulsiona negócios sustentáveis

O protocolo entre o Banco e a Secretaria de Governo tem por objetivo mobilizar e integrar as classes produtoras e demais parceiros institucionais para a aplicação dos recursos de fomento disponíveis, em apoio ao desenvolvimento dos setores produtivos do estado, em bases mais sustentáveis. O trabalho conjunto prevê, ainda, contribuir com a estruturação e o fortalecimento dos aglomerados econômicos, arranjos produtivos locais e as cadeias produtivas do Estado e criar iniciativas que reduzam as desigualdades locais.

A parceria também objetiva a promoção da cultura do empreendedorismo consciente, estimulando e apoiando a adoção de melhores práticas produtivas sustentáveis, por meio de negócios que gerem a distribuição de renda, criem oportunidades de ocupação de mão de obra e de emprego e promovam a inclusão social.

Para cumprir com esses objetivos, caberá ao Banco atuar alinhado com as prioridades setoriais e espaciais definidas pelas políticas dos Governos Federal e Estadual; divulgar amplamente os programas de financiamentos, as normas e procedimentos operacionais, visando facilitar a habilitação dos beneficiários ao crédito; induzir e apoiar o fortalecimento do associativismo/cooperativismo de produção do meio rural, agroindustrial e industrial; assegurar recursos financeiros para financiar investimento, custeio e capital de giro, em consonância com os normativos vigentes; e construir parcerias como forma de somar esforços a serviço do desenvolvimento local.

Já ao Governo do Estado na região, caberá potencializar o agronegócio, promovendo a inserção da produção familiar nos mercados, bem como os setores industriais e de serviços, a partir da expansão de atividades de maior demanda de mão de obra, intensificando a geração de emprego e renda. E, ainda, assegurar e disponibilizar os serviços de assistência técnica e extensão rural do Estado e garantir recursos financeiros para melhorar e expandir a infraestrutura econômica básica em áreas prioritárias.

Para 2018, o Banco da Amazônia planeja aplicar mais de R$ 8,3 bilhões para promoção do desenvolvimento integrado e sustentável da Região Amazônica e, ao mesmo tempo, reduzir as desigualdades intra e inter-regionais, propiciando a melhoria da qualidade de vida das populações locais. Só de recursos do FNO, o Banco tem disponível R$ 5,14 bilhões, mais R$ 2,6 bi da carteira de crédito comercial.

No Tocantins, o Banco da Amazônia é responsável por mais de 49,28% do crédito de fomento aplicado nessa região e conta com 1 superintendência regional e 17 agências. O Banco tem o saldo da carteira de crédito de R$ 3,9 bi com recursos do FNO. No que se refere às aplicações de crédito no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), no período de janeiro a dezembro de 2017 (ano civil), o Banco tem um saldo de R$ 439 milhões.

 

Com Ascom/Basa

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.