publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quarta, 13 de novembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Unitins estuda utilização do óleo de girassol para produção de combustível

27/04/2018 16h29 | Atualizado em: 27/04/2018 17h04

Divulgação/Thalia Batista Pesquisa realizada por alunos da Universidade Estadual do Tocantins tem analisado sete variedades da planta

A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) está executando uma pesquisa sobre o uso de girassóis para a produção de biocombustível em sete variedades da planta. A pesquisa é resultado da disciplina de Culturas Agroenergéticas e é desenvolvida por alunos do 7º período de Engenharia Agronômica/Câmpus Palmas, orientados pelo professor doutor Lucas Koshy Naoe.

A proposta é de que, até agosto, seja disponibilizado o levantamento de dados quanto à produção de óleo para biocombustível. O florescimento dos girassóis deu início na última semana e no mês de junho passa pela colheita.

A pesquisa

O ensaio do girassol acontece desde 2004. O estudo em campo avalia altura da planta, ciclo da variedade e tolerância a pragas e doenças, além do rendimento do óleo para cada variedade.

Segundo o professor Lucas Koshy Naoe, o girassol tende a produzir de 30 a 42% de óleo, ou seja, em um quilo da flor, 400 gramas são de óleo.

A plantação para estudo está localizada no Complexo de Ciências Agrárias (CCA) da Unitins e os dados das pesquisas anteriores quanto à cultura e variedades do genótipo do girassol serão apresentados nos estandes da Universidade durante a Agrotins 2018, que ocorrerá de 8 a 12 de maio.

Óleo de girassol para biocombustível

Devido ao alto teor de óleo, o girassol vem sendo utilizado no Brasil como matéria-prima para a produção de biodiesel. Por ser uma substância biodegradável, não tóxica, com pequena quantidade de substâncias aromáticas e cancerígenas, pode ser denominado “combustível ecológico”, conforme pesquisa da Embrapa disponível neste link.

O orientador da pesquisa, professor Lucas Koshy Naoe, possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1997), mestrado e doutorado em Genética e Melhoramento pela Universidade Federal de Viçosa (2000 e 2004).

Com Ascom/Unitins

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.