publicidade
publicidade
Max:30° Min:22°
Araguaína
Araguaína-TO, segunda, 10 de dezembro de 2018
Siga a REDE TO

Estado

Com agressão, tiros e ameaças, cavalgada é marcada pela violência

11/06/2018 17h35 | Atualizado em: 14/06/2018 17h49

Reprodução Uma mulher foi derrubada duas vezes por um policial militar à paisana na avenida Filadélfia, a última do trajeto de 5 km da Cavalgada de Araguaína

REDAÇÃO
REDE TO



Principal atração da Exposição Agropecuária de Araguaína (Expoara), na região norte do Tocantins, a cavalgada da cidade este ano foi marcada por episódios de violência. Durante o evento, uma mulher foi agredida por um policial militar e um homem preso após sacar uma arma e ameaçar o público do desfile. 

Agressão 

O caso de agressão aconteceu na avenida Filadélfia, a última do trajeto de cinco quilômetros da cavalgada. Imagens gravadas com um celular mostram uma mulher sendo jogada no chão por um PM que estava à paisana. De acordo com a Polícia Civil
a confusão começou depois de um acidente de trânsito. 

Policiais militares atendiam a ocorrência, quando um rapaz de moto parou no meio da avenida atrapalhando o trânsito. A corporação disse que o jovem ignorou os pedidos para deixar a via e xingou um dos PMs. Diante da situação, os policiais resolveram usar a força. Com o objetivo de prender o motociclista por desacato, eles o derrubaram e o imobilizaram. É aí que entra a mulher que aparece em um vídeo amador sendo agredida por um militar. Ela seria namorada do rapaz. 

No vídeo, é possível ver o momento em que a jovem aponta o dedo e empurra um PM fardado. Na sequência, as imagens mostram o instante em que o militar à paisana aparece por trás, agarra o cabelo da mulher e a joga no chão. Ela levanta, recebe uma rasteira e é derrubada outra vez pelo policial. 


O casal foi detido por desacato e resistência, mas, segundo o delegado regional Daniel Boaventura, na delegacia, nem os jovens, nem os policiais falaram a respeito da abordagem. Tanto o rapaz quanto a namorado foram liberados. 

Boaventura explicou que em casos como este, em que há suposto crime funcional praticado por policial militar em serviço, a PM está autorizado a investigar. "
Eles podem instaurar um inquérito policial militar para apurar isso", declarou o delegado. 

Em nota, a PM afirmou que vai apurar se houve excessos por parte dos policiais durante a ação. A corporação ressaltou que a mulher "se encontrava muito alterada e foi presa juntamente com outro rapaz, por desacato e resistência, ao perturbarem e atrapalharem o atendimento de uma ocorrência de acidente de trânsito". 

No comunicado, a Polícia Militar destacou que o "Comando do 2° BPM já determinou à Corregedoria da Unidade que analise as imagens, a fim de adotar a medida pertinente, qual seja a instauração de Sindicância Administrativa, a fim de esclarecer melhor os fatos e verificar se houve excessos, oportunizando aos Policiais Militares envolvidos o direito constitucional da ampla defesa e do contraditório."

Ameaças

Também no domingo, logo após o encerramento da cavalgada, um jovem de 22 anos foi preso, na avenida Filadélfia, depois de sacar um revólver calibre 38 e atirar três vezes contra um homem com quem ele teve uma discussão. Os tiros foram efetuados em meio a multidão que acompanhava o desfile. A confusão também foi gravada por um celular e o vídeo divulgado nas redes sociais.

Depois dos tiros, o rapaz tentou fugir, mas acabou preso em flagrante. Ele foi levado para a delegacia e autuado por disparo em via pública. A arma foi apreendida. O delegado de plantão arbitrou uma fiança no valor de R$ 4,7 mil para que o jovem respondesse em liberdade, mas antes que ele pudesse pagá-la, a Justiça, atendendo a um pedido da Delegacia de Homicídios e Proteção (DHPP) de Araguaína, determinou a prisão do rapaz por duas tentativas de homicídio contra a mesma pessoa. Mandado cumprido, o suspeito deve aguardar o julgamento preso. 


Cavalgada

Em sua 30ª edição, a Cavalgada de Araguaína contou com a participação de cerca de 5 mil cavaleiros e amazonas distribuídos em 50 comitivas. A marcha percorreu as principais ruas e avenidas da cidade, atraindo a atenção de centenas de pessoas, que se reuniram embaixo de tendas montadas ao longo do trajeto. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.