publicidade
publicidade
Araguaína-TO, segunda, 24 de junho de 2019
Siga a REDE TO

Estado

3 servidores são afastados após denúncia de agressões no Case

19/12/2018 19h18 | Atualizado em: 19/12/2018 19h39

Divulgação/DPE-TO Portaria da Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça (Seciju) também determina abertura de sindicância para apurar responsabilidades dos fatos ocorridos no último dia 9, entre outras medidas adotadas

REDAÇÃO
REDE TO


Três servidores do Centro de Atendimento Socioeducativo de Palmas foram afastados de suas funções após a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) denunciar agressões físicas contra adolescentes internos no Case. O afastamento, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 18, atende à solicitação feita pelo Núcleo Especializado de Defesa da Criança e do Adolescente (Nudeca) e pelo Núcleo Especializado de Defesa dos Direitos Humanos (NDDH), ambos da Defensoria.

De acordo com a DPE, o afastamento dos servidores se deu por meio de Portaria nº 875/2018, da Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça (Seciju), que determina que os três servidores sejam afastados por cinco dias ou mais, se assim for necessário para a investigação.

O documento determina também a abertura de sindicância contra seis servidores do Case, entre eles, os três afastados, a fim de apurar a possível responsabilidade de cada um nos fatos ocorridos no último dia 9, quando adolescentes internos no Centro de Atendimento Socioeducativo foram agredidos após o princípio de um motim.

A portaria determina, ainda, “(...) providências da Diretoria da Criança e do Adolescente a fim de constituir o CAD para apurar as faltas infracionais dos adolescentes narradas no Relatório de Plantão.”.

Entre outras medidas, a Seciju também designou à Diretoria de Direitos Humanos do Estado do Tocantins a realização de vistoria no Case de Palmas a fim de relatar, no prazo de até 15 dias, as condições “(...) de tratamento, saúde, educação, alimentação, higiene, segurança e visita, (...)”.

Para a coordenadora do Nudeca, as medidas tomadas pela Seciju são importantes a fim de garantir os direitos dos internos no Case e adequada condução das medidas socieducativas, amparadas na lei.

Histórico

No último dia 12, a coordenadora do Nudeca, defensora pública Larissa Pultrini, e a coordenadora em substituição do NDDH, Maurina Jácome Santana, estiveram na Seciju e entregam ofício à Pasta com o pedido de providências sobre as agressões ocorridas no Case.

No documento, foi anexado o relatório de vistoria do Nudeca, realizada nos dias 10 e 11 de dezembro, quando os adolescentes alegaram prática de tortura, agressões físicas e morais pelo coordenador do Case Palmas e alguns socioeducadores do plantão do dia 9 de dezembro. Fotos feitas pela equipe do Nudeca comprovam que os adolescentes foram feridos. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.