publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quarta, 11 de dezembro de 2019
Siga a REDE TO

Municípios

Pastor é condenado por estupro de adolescente de 15 anos em Filadélfia

26/03/2019 22h20 | Atualizado em: 26/03/2019 22h31

Marcos Santos/USP Imagens Flávio Costa da Silva foi condenado a 12 anos de um mês de prisão pelo estupro de uma adolescente de 15 anos, em Filadélfia, na região norte do Tocantins

REDAÇÃO
REDE TO


Um pastor evangélico de 45 anos foi condenado pelos crimes de estupro e ameaça, em Filadélfia, na região norte do Tocantins. A decisão foi proferida no último dia 15 de março. Flávio Costa da Silva recebeu uma pena de 12 anos de um mês de prisão.

De acordo com o Ministério Público Estadual, autor da denúncia, o crime aconteceu em fevereiro de 2016. A promotoria afirma que Flávio se valeu da condição de pastor para obrigar uma adolescente de 15 anos, que frequentava a igreja, a fazer sexo com ele.

Na denúncia, o MPE relata que o religioso frequentava a casa da vítima com frequência, mas a família proibiu Flávio de visitá-la depois que percebeu a intenção do religioso de se relacionar com a menor.

Certo dia, porém, destaca o Ministério Público, o pastor ficou sabendo que a adolescente ia dormir na casa da tia. O MPE diz que, naquela noite, Flávio foi até a residência, entrou no quarto da jovem, trancou a porta e alegou que ia fazer uma oração. Neste momento, o religioso tirou a roupa da vítima e, tampando a boca dela para evitar que ela gritasse, a obrigou a manter relações sexuais com ele.

Conforme apurado, a tia da vítima ouviu um barulho vindo do quarto e questionou o que estava acontecendo lá dentro. O religioso não se mostrou preocupado e, ao invés de tentar fugir, gritou com a mulher. Flávio teria dito que se fosse denunciado, mataria a tia da adolescente.

Segundo o Ministério Público, o laudo pericial de corpo de delito confirmou a ocorrência de conjunção carnal com ruptura himenal cicatrizada, compatível com a data alegada pela vítima.

Preso preventivamente desde o dia 14 de abril, quando foi flagrado dirigindo alcoolizado no Distrito Federal, Flávio deverá cumprir a pena de 12 anos e um mês de detenção em regime fechado. A pena, que, inicialmente, seria de 8 anos, elevada para 12 anos em função de, à época do crime, ser o líder religioso da vítima.

Durante o processoque culminou com a condenação da última sexta, foi confirmada a existência de uma Medida Protetiva da Lei Maria da Penha contra Flávio expedida pela Justiça baiana. O religioso ainda é réu em um ação por crime doloso contra a vida cometido na Bahia.

O espaço está aberto para que o pastor Flávio Costa possa se manifestar. O email para envio de notas é [email protected]
 

 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.