publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sexta, 23 de agosto de 2019
Siga a REDE TO

Estado

MP denuncia quadrilha do TO que aplicava golpes na internet

17/05/2019 16h36 | Atualizado em: 21/05/2019 20h01

Divulgação Ministério Público denunciou 11 suspeitos de integrar organização criminosa especializada em aplicar golpes pela internet

REDAÇÃO
REDE TO


O Ministério Público do Tocantins (MPTO) denunciou uma organização criminosa, formada por pelo menos 11 integrantes, especializada na prática de fraudes pela internet. 

Conforme a denúncia, oferecida à Justiça, na última quarta-feira, 15, os suspeitos criavam sites falsos, com o visual de lojas virtuais conhecidas, e anunciavam produtos com preços muito abaixo do valor de mercado. Ao simular as vendas, eles capturavam dados de cartões de crédito, que eram utilizados em outras operações fraudulentas. O grupo também gerava boletos, cujo valor pago era direcionada para a contra bancária de um dos criminosos ou para a quitação de dívidas de terceiros. 

O MP afirma que quadrilha oferecia em suas lojas virtuais falsas produtos como televisão e celulares. Uma TV de mais de R$ 3 mil custava R$ 898,90 e um celular de R$ 1.331,78 era anunciado por R$ 589,00.

De acordo com o Ministério Público, os suspeitos moravam nas cidades de Itaguatins e Palmas e utilizavam um hotel da capital como “escritório” para suas reuniões. A partir do acesso à internet disponibilizado pelo estabelecimento, o grupo praticava as operações fraudulentas, dificultando a possibilidade de serem rastreados.

Na denúncia, baseada em investigações da Polícia Federal, o MP destaca que o grupo se hospedou no mesmo hotel da capital pelo menos 18 vezes, entre dezembro de 2017 e fevereiro de 2018, quando foi detido em uma operação da PF. As diárias eram sempre pagam com cartões de crédito de terceiros, em reservas efetuadas pelo site do estabelecimento.

O MP declarou ainda que os membros da organização, apesar da pouca instrução escolar, em razão das fraudes, adquiriam bens de consumo como celulares de ponta, relógios de marca, computadores e até veículos seminovos.  

Nomes e crimes

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou
 Paulo Ricardo Brito Silva, suposto líder da organização criminosa, e os integrantes Adriano Dias da Silva, Antônio Rafael Carvalho de Sousa, Brenda Allana da Silva, Cristiano dos Santos, Dominik Moskowis dos Santos Saraiva, Felipe Almeida de Sousa, Glerson da Conceição Silva, Jany Pons Rodrigues, Jorge Fernando Farias da Silva e Wilkner Alves de Oliveira.

Os suspeitos vão responder por formação de organização criminosa e estelionato. Dois dos denunciados responderão também por lavagem de dinheiro.

Outro lado

O espaço está aberto para que as pessoas citadas na matéria possam se manifestar sobre a denúncia do MP. O email para envio de notas é [email protected]


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.

  • Aguarde novas notícias.