publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quinta, 21 de novembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Governo divulga índice de produtividade de delegados tocantinenses

18/06/2019 21h43 | Atualizado em: 18/06/2019 22h09

Divulgação Polêmico, Relatório de Atividades Funcionais (RAF) detalha atuação de delegados da Polícia Civil do Tocantins

REDAÇÃO
REDE TO


Foi publicada na edição desta terça-feira, 18, di Diário Oficial do Estado – DOE, o primeiro relatório de produtividade dos membros da carreira de delegado de polícia do Tocantins. O Relatório de Atividades Funcionais (RAF) das autoridades policiais do estado foi instituído através da Portaria n. 573 da Secretaria da Segurança Pública, de 23 de maio de 2019, e estabelece a publicidade trimestral do número de procedimentos concluídos pelos servidores, a exemplo do que já acontece com outras carreiras oficiais, como integrantes do Ministério Público e do Poder Judiciário.

De acordo com o governo, a proposta contemplada no RAF atende às diretrizes de uma gestão pública baseada em evidência e orientada por resultados, que possam garantir uma melhor prestação de serviços à população tocantinense a partir de um atendimento às demandas de segurança pública local com presteza e rendimento funcional.

“Nosso enfoque é a efetividade e o avanço nas políticas e projetos de segurança pública para o Tocantins. E, para isso, é necessário um diagnóstico para o planejamento e execução de ações eficientes. O Relatório apresentado hoje é uma parte do leque de dados sobre a estrutura de nossos órgãos e atuação de nossos profissionais, que trabalham a serviço da satisfação das necessidades de nossa população. Dentro desse contexto, estamos capacitando nosso efetivo e ouvindo suas sugestões e demandas”, explica o secretário Cristiano Sampaio.

A colaboração a que o titular da SSP faz menção é a aplicação de três questionários aos policiais civis do Tocantins iniciada nesta sexta-feira, 14, buscando avaliar as condições das unidades de trabalho e levantar informações sobre estrutura, materiais e necessidades diárias de cada servidor. 

Polêmica

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Tocantins (Sindepol/TO) é contra o RAF e afirma que o relatório é uma medida de "clara a opressão ao combate à corrupção no Estado do Tocantins", pois desvaloriza o trabalho desempenhado pelos delegados frente às investigações complexas e desestimula principalmente os profissionais que atuam no interior.

"É preocupante que se estabeleça um Relatório de Atividades Funcionais levando em consideração somente números, sem avaliar a complexidade dos procedimentos. Deixamos ainda em evidência que a instauração do RAF não é uma forma de modernizar a Polícia Civil, visto que a situação do nosso trabalho ainda é desfavorável, com viaturas precárias, ambientes insalubres, Delegacias sendo despejadas, dentre outras questões que devem ser priorizadas", declara o presidente do Sindepol, Mozart Félix. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.