publicidade
publicidade
Araguaína-TO, domingo, 17 de novembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Índios isolados são descobertos no Tocantins; MPF cobra proteção

22/10/2019 21h26 | Atualizado em: 29/10/2019 21h26

Divulgação/Funai Grupo da etnia korubo contatado pela Funai, em 2014, no Amazonas; dezenas de membros da comunidade decidiram seguir em isolamento
REDAÇÃO
REDE TO


O Ministério Público Federal encaminhou uma recomendação à Fundação Nacional do Índio (Funai) e ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) requisitando a imediata interdição de uma área no interior da Ilha do Bananal, no Tocantins, em que foi avistado um povo indígena vivendo isoladamente.

O MPF pediu ainda que sejam adotadas providências que garantam a proteção e o isolamento do grupo, inclusive com medidas protetivas para evitar a entrada de pessoas estranhas ao local.

"Cara Preta"

De acordo com o Ministério Público, os indígenas foram avistados no dia 9 de outubro por um agente de Manejo Integrado do Fogo, do PREVFOGO/Ibama, após o encerramento de uma operação de combate a um incêndio florestal na Ilha do Bananal.

O agente se deslocava de helicóptero para a base do centro, enquanto estava a 100 metros de altitude e procurava identificar se havia mais algum foco de incêndio, quando avistou, em local próximo, 8 indígenas de etnia não identificada, sendo 6 adultos e 2 crianças.

Morador da ilha e falante da língua Iny, o agente declarou que as pessoas avistadas eram completamente diferentes dos Javaé e dos Karajá, povos que habitam a região. 

Conforme estudo realizado pela PhD em Antropologia Patrícia Rodrigues, a população avistada provavelmente é do povo Avá-Canoeiro, também conhecido regionalmente como “Cara Preta”.

Ilha do Bananal

Com área de cerca de 25 mil km², a Ilha do Bananal é considerada a maior ilha fluvial do mundo, localizada no Tocantins entre dois grandes rios, que são o Javaés e o Araguaia, nas divisas com Goiás e mato Grosso, na planície do Cantão, e integra os municípios tocantinense de Pium, Caseara, Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão e Marianópolis.



Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.