publicidade
publicidade
Araguaína-TO, domingo, 17 de novembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Energisa leva projeto de negociação de dívidas a aldeias do Tocantins

21/10/2019 22h57 | Atualizado em: 22/10/2019 23h14

Divulgação/Energisa Ação pretende estreitar o relacionamento da empresa com os clientes indígenas e melhorar atendimento

Foi no dialeto Akwe que o indígena Reginaldo Snãromti Xerente conversou com integrantes da aldeia Porteira, localizada no município de Tocantínia. Ele é eletricista da Energisa e participa do Projeto Itinerante de Negociação nas Aldeias, realizado pela concessionária, com objetivo de compartilhar informações, estreitar o relacionamento e falar a linguagem do cliente. Assim, Reginaldo une o conhecimento da profissão com a tradição do seu povo. Essa interação é fundamental para o atendimento acontecer de forma eficiente e inclusiva.

Durante o projeto, são esclarecidos assuntos como produção de energia, a importância da segurança e os serviços prestados pela Energisa. "Falar na nossa língua facilita o entendimento e aproxima mais. As pessoas falaram, tiraram dúvidas. Muitos de nós não entendemos o Português direito, então, quando falamos na nossa língua, é mais fácil, porque todos entendem o recado", destaca Reginaldo.

Em 2019, nove aldeias foram contempladas. As visitas começaram em maio deste ano. De lá para cá, já foram atendidas as aldeias de Canuanã, Tixuiri e São João (Formoso do Araguaia), Porteira (Tocantínia), Lago do Boto Velho (Lagoa da Confusão), Santa Izabel e Fontoura (Ilha do Bananal), Pedra Branca (Goiatins) e Mariazinha (Tocantinópolis).

E a dinâmica do projeto tem funcionado bem. Os esforços resultaram em mais de 400 atendimentos, como troca de lâmpadas comuns por LED e cadastro na Tarifa Social de Energia Elétrica, além de 206 negociações. "É uma forma de estarmos mais próximos dos nossos clientes. Independentemente de onde estejam, ou a qual etnia pertençam, queremos estar juntos, entendendo as necessidades e levando informação sobre os nossos serviços, principalmente dos aspectos de segurança", conta Mauro Inácio dos Santos, gerente de Serviços Comerciais.

Projeto

O projeto surgiu da necessidade de ficar mais próximo dos clientes indígenas que, em geral, moram em aldeias muito distante das cidades que têm agências de atendimento da Energisa. Essa dificuldade, aliada à falta de informação, acaba gerando prejuízos aos clientes, como atrasos e débitos.

Para Caroline Barbosa Calaça Maus, analista Comercial, essa é uma oportunidade de ver de perto as principais necessidades desse público. "Nos aproximamos mais deles, levando até as aldeias atendimento e informações sobre segurança com a rede elétrica, dicas de economia, trocas de lâmpadas comuns por LED e, ainda, realizamos o cadastro da tarifa social", comentou.

Por meio do projeto, os clientes em débito têm acesso a um plano de negociação com condições especiais. "O projeto só é possível com a parceria da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), que aceitou prontamente e nos acompanha em todas as ações que beneficiam os indígenas", ressaltou Alano Castro, assistente Administrativo.

 

Com Ascom/Energisa-TO

Leia sobre: AldeiasEnergisaTocantíniaTocantins
Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.