publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quinta, 12 de dezembro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Falta de médicos leva ao aumento da fila de espera por cirurgias no regional

13/11/2019 16h14 | Atualizado em: 21/11/2019 14h23

Divulgação HRA conta com 15 especialistas em cirurgia geral, dos quais 12 possuem carga horária para atendimentos de urgência e emergência, três atuam no serviço de oncologia e apenas dois atendem procedimentos eletivos

REDAÇÃO
REDE TO


O Ministério Público do Tocantins (MPTO) entrou com uma ação na Justiça, na última terça-feira, 12, para obrigar o governo do estado a ampliar oferta de cirurgias eletivas e de consultas médicas, em Araguaína, na região norte do Tocantins. 

De acordo com a promotora de Justiça Araína Cesárea D’Alessandro, apesar da conhecida demora para a realização de procedimentos cirúrgicos, o estado vem se mantendo inerte, sem contratar médicos cirurgiões e sem atribuir a a estes profissionais cargas horárias de trabalho suficientes para o atendimento da demanda de pacientes.

Demanda reprimida

Conforme apurado pela 5ª Promotoria de Justiça de Araguaína, em decorrência da quantidade insuficiente de médicos especialistas em cirurgia geral no Hospital Regional de Araguaína (HRA) e da ineficiência no dimensionamento de suas cargas horárias, a gestão tem priorizado os casos de urgência e emergência. Com isso, a demanda por cirurgias eletivas ficou reprimida.

O MP afirma que, atualmente, o HRA conta com 15 especialistas em cirurgia geral, dos quais 12 possuem carga horária para atendimentos de urgência e emergência, três atuam no serviço de oncologia e apenas dois atendem procedimentos eletivos.

Diante da falta de profissionais, a fila de espera por consultas médicas na especialidade de cirurgia geral tem crescido progressivamente. Em setembro de 2019, 1.887 pacientes aguardavam atendimento. Sem esse tipo de consulta, não há indicação para o procedimento cirúrgico e os pacientes sequer são incluídos na lista de espera de cirurgias eletivas.

Pedidos

Na Ação Civil Pública, a promotora de justiça Araína D’Alessandro pede que seja ampliada a oferta de consultas e cirurgias eletivas na especialidade de cirurgia geral, seja por meio da contratação de novos profissionais, seja pelo redimensionamento da carga horária da equipe médica já existente.


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.