publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quarta, 25 de novembro de 2020
Siga a REDE TO

Rede 190

PRF mira grupo suspeito de adulterar combustíveis

22/10/2020 10h17 | Atualizado em: 22/10/2020 10h17

Divulgação
REDAÇÃO
REDE TO, com informações do Nucom/MPSP

Agentes da Polícia Rodoviária Federal cumprem mandados de busca na operação Arinna, deflagrada nesta quarta-feira (21) e que mira um grupo criminoso suspeito de atuar na adulteração de combustíveis. A investigação teve início em São Paulo, através do Ministério Público Estadual. Mandados são cumpridos em São Paulo, Rio de Janeiro Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Rondônia e Rio Grande do Sul.


No Tocantins, os alvos foram duas empresas, que seriam de fachada, em Palmas. O agentes encontraram uma delas completamente vazia, com um canoa no meio do salão. Um contador também foi alvo da operação. Os policiais revistaram o apartamente dele, em um prédio na Arse 13, antiga 108 sul. 

Documentos e aparelhos eletrônicos foram apreendidos e farão parte da investigação. 

A investigação

O suposto grupo adulterava combusíveis e também o composto químico Arla 32, um reagente utilizado para garantir maior eficiência com menor poluição ambiental em motores a diesel dos veículos fabricados a partir de 2012.

A utilização do Arla 32 reduz um dos poluente mais nocivos ao meio ambiente, o óxido de nitrogênio. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, desrespeitar os parâmetros de emissão resulta em infração grave, cabendo até mesmo a retenção do veículo. Segundo a investigação, o esquema consiste em fabricar o composto utilizando-se de ureia, normalmente usada para a fabricação de adubos e fertilizantes.

Essa prática, além dos danos ambientais, compromete os motores dos caminhões. Verificou-se também que a organização criminosa adquiriu nafta sob a justificativa de que o produto seria destinado à fabricação de tintas e vernizes, mas na verdade os elementos de convicção colhidos até o momento indicam que o insumo estaria sendo desviado para misturar com gasolina. O grupo teria sonegado R$ 538 mil em tributos federais.



                                                                

Leia sobre: AdulteraçãoCombustíveisFraudeOperaçãoPalmasPRF
Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.