publicidade
publicidade
Araguaína-TO, quinta, 23 de setembro de 2021
Siga a REDE TO

Estado

TO está há 11 anos sem realizar concurso para professor estadual

23/07/2021 20h44 | Atualizado em: 27/07/2021 21h18

Divulgação A realização de um concurso para a Educação estadual vem sendo discutida no âmbito de uma ação judicial proposta pelo Ministério Público

Foi marcada para 23 de agosto audiência de conciliação relativa à ação judicial em que o Ministério Público do Tocantins (MPTO) requer a realização de concurso público para professor da rede estadual. Na data, o Estado terá que apresentar levantamento com a quantidade de cargos efetivos vagos e de contratos temporários existentes na Secretaria Estadual da Educação, Juventude e Esportes (Seduc).

A secretária da Seduc e o procurador-geral do Estado foram intimados pessoalmente pela Justiça para participar da audiência, em razão da complexidade e da relevância que envolvem o processo.

Na ação judicial, a 9ª Promotoria de Justiça da capital aponta situação irregular no quadro da Seduc, de burla à regra constitucional do concurso público.

Conforme o órgão de controle, o último concurso para provimento de cargos do magistério da Educação Básica foi lançado ainda no ano de 2009 e teve seu resultado divulgado em março de 2010 – portanto, há 11 anos. Em razão disso, a Seduc vem acumulando deficit de profissionais e suprindo essa necessidade por meio um número excessivo de contratos temporários.

A ação civil pública que pede a realização de concurso foi proposta pelo Ministério Público do Tocantins em setembro de 2019. Nela, é requerida a realização de certame para o provimento de, no mínimo, 4.882 cargos vagos, contemplando-se o de professor e outros, bem como a obrigação do Estado em se abster de celebrar contratos temporários de forma reiterada e sucessiva no âmbito da Secretaria da Educação.

O assunto foi discutido em audiência ocorrida no último dia 19, mas devido à necessidade de apresentação das informações e da participação dos titulares da Seduc e da Procuradoria-Geral do Estado, foi concedido o prazo de 20 dias para uma nova audiência.

 

Da Ascom/MPTO

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.