publicidade
publicidade
Araguaína-TO, terça, 15 de outubro de 2019
Siga a REDE TO

Estado

Greve dos Correios afeta a entrega de correspondências

Cerca de 400 mil cartas estão paradas, segundo sindicato

17/09/2013 14h27 | Atualizado em: 18/09/2013 10h55

REDE TO/Tarcísio Sousa O presidente do Sintect, José Aparecido Rufino, estima que 350 servidores da ECT no Tocantins, 43,75% da força de trabalho, estão de braços cruzados
REDAÇÃO


A greve dos funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) completou cinco dias nesta terça-feira, 17. Na última segunda, 16, durante reunião, a categoria decidiu continuar a paralisação por tempo indeterminado. 

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da empresa de Correios e Telégrafos do Estado (Sintect), por causa da interrupção parcial dos serviços, cerca de 400 mil cartas aguardam entrega no estado. 

Na tarde de hoje, será realizada uma audiência em Brasília para tentar chegar a um acordo. A principal reivindicação dos funcionários é o reajuste de 10% no piso salarial da categoria. A direção da empresa ofereceu 5,27% de aumento salarial, o que foi recusado pela categoria. 

No caso do Tocantins, os funcionários dos Correios pedem ainda segurança armada e porta com detector de metais nas agências do estado. Segundo a categoria, só em 2013, foram quase 30 assaltos e seis sequestros. 

O presidente do Sintect, José Aparecido Rufino, estima que 350 servidores da ECT no Tocantins, 43,75% da força de trabalho, estão de braços cruzados. Gurupi é a cidade com maior adesão à greve: apenas quatro dos 32 funcionários estão trabalhando. Em Araguaína, 38 dos 43 servidores estão parados. Em Palmas, 50 dos 70 trabalhadores suspenderam as atividades. 

Correios

De acordo com a assessoria de comunicação da ECT no Tocantins, 90% dos empregados da empresa continuam trabalhando. No fim de semana, será realizado mutirão com servidores das áreas operacional e da administração, para que seja feita a entrega das correspondências.

Os Correios informaram também que o número de cartas paradas é significativamente menor do que o informado pelo Sintet. Segundo a empresa, 130 mil cartas estão paradas e não 400 mil. 

Ainda de acordo com a ECT, o número de grevistas tem diminuído e todas as agências estão abertas e funcionando normalmente. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.