publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sábado, 28 de novembro de 2020
Siga a REDE TO

Estado

IDHM: Tocantins completa 25 anos na posição 14ª do ranking

Na Região Norte, o estado apresenta o terceiro maior índice

04/10/2013 10h26 | Atualizado em: 04/10/2013 19h52

Manoel Lima/Seduc Dentre os indicadores levantados pelo estudo, a Educação foi o que mais se destacou no Estado nos últimos dez ano

Desde a criação do Tocantins, novos municípios surgiram, outros se consolidaram e políticas públicas aliadas as oportunidade em um novo Estado alavancaram os Índices de Desenvolvimento Humano por Município (IDH-M) no Tocantins. A pobreza intensa e a falta de desenvolvimento humano do então norte goiano foram o mote para os movimentos separatistas desde o século XIX. A partir da aprovação da Constituição de 1988, que culminou na criação do Estado tocantinense, muita coisa mudou para melhor na mais nova unidade federativa.

Calculado a cada dez anos, a partir 1991, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Avançada (Ipea), o IDH-M leva em consideração fatores como a longevidade, educação e renda da população para definir índices como muito altos, altos, médios, baixos e muito baixos, conforme o resultado.

No primeiro ano de divulgação do índice, o recém-criado Tocantins apresentava um IDH-M de 0,369 e ocupava somente a 25ª colocação no ranking brasileiro, à frente apenas do Piauí e do Maranhão. Hoje, com uma evolução de 89,43% no índice, o Tocantins subiu para a 14ª colocação entre os maiores Índices de Desenvolvimento Humano por Municípios.

Entre os Estados da Região Norte, o Tocantins tem o terceiro maior IDH-M (0,699), ficando atrás apenas dos estados de Roraima (0,707) e Amapá (0,708).

Educação

Dentre os indicadores levantados pelo estudo, a Educação foi o que mais se destacou no Estado nos últimos dez anos de levantamento devido ao crescimento. Ao todo, o Tocantins teve uma variação de 0,276 pontos e atingiu um índice de 0,624 em 2010.

Desta forma, políticas públicas de incentivo, principalmente à educação de tempo integral, são um fator importante na evolução deste quesito do estudo das Nações Unidas. Para manter este crescimento, o governo do Estado vem investindo maciçamente em educação. Conforme informações da Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc), entre 2011 e 2013 foram mais de R$ 130 milhões na construção, reforma e ampliação de escolas, além da aquisição de equipamentos tecnológicos e uniformes escolares.

Principal foco dos investimentos, a educação de tempo integral foi amplamente fortalecida. Hoje, são mais de 100 mil estudantes tocantinenses atendidos no sistema de tempo integral através das escolas e programas. Na modalidade de ensino em tempo integral, as crianças e adolescentes passam o dia todo nas escolas, têm aulas de disciplinas tradicionais e também de artes, esportes, além de receberem três refeições diárias.

Para o secretário de Estado da Educação e Cultura, Danilo de Melo Sousa, os recursos aplicados atendem a todos os municípios do Estado. “Se nós pudéssemos dividir esses recursos para cada cidade do Tocantins, eu diria que foi investido, em média, R$ 1 milhão em cada município”, apontou.

Longevidade

A educação se destaca pela maior evolução no IDH-M, mas o indicador mais positivo no Tocantins, com o maior índice no Estado, é o da Longevidade, que leva em conta o fator esperança de vida ao nascer. Neste quesito, o Estado atingiu 0,793.

O Tocantins apresentou evolução na esperança de vida ao nascer que, em 1991 era de 60,32 anos. Conforme o estudo do PNUD, hoje a estimativa de vida do tocantinense atingiu a marca dos 72,56 anos. Isso representa mais qualidade de vida para os tocantinenses, o que também passa pelos investimentos em saúde.

Mais saúde

Neste quesito, o governo do Estado vem estruturando as redes hospitalares na capital e no interior. A meta é manter os índices de aplicação de recursos na Saúde acima da média nacional. Atualmente, o Tocantins é o segundo Estado brasileiro que mais investe recursos próprios no setor, com 18% do orçamento estadual (6% a mais do que o percentual estipulado em lei) voltado às ações da Saúde.

Conforme o orçamento para este ano, o governo vai investir mais de R$ 1,3 bilhão na área. Entre as obras já iniciadas estão as reformas e ampliações do Hospital Geral de Palmas e do Hospital Regional de Augustinópolis, e a construção do Hospital Geral de Gurupi. O governo também vai reformar e ampliar o Hospital Regional de Araguaína e construir oito Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) em regiões estratégicas do Estado, entre outras ações contínuas.

Renda

A geração de emprego e renda também tem recebido atenção especial da gestão estadual através de ações que valorizam os pequenos e médios empresários, além dos empreendedores individuais. Neste sentido, diversas ações em parceria com instituições especializadas têm levado capacitação e incentivos para novos empreendedores no Tocantins. Destaque para o programa Compra Governamental, que determina a contratação de micros e pequenos empresários e de empreendedores individuais de até 30% do valor licitado em grandes licitações.

Além disso, através de programas sociais, como o Tocantins Sem Fome e o Pioneiros Mirins, o Estado promove a divisão de renda e capacitação de alunos da rede pública de ensino. De acordo com dados da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), o Tocantins Sem Fome atende a 25 mil famílias com a transferência condicionada de crédito alimentar, no valor de R$ 50 (cinquenta reais). O crédito deve ser utilizado na rede cadastrada de comércio varejista de alimentos in natura, beneficiando a economia, além dos beneficiados.

Mateiros

Município distante 241 Km de Palmas, de grande extensão territorial e localizado na região do Parque Estadual do Jalapão, Mateiros foi, segundo os dados do PNUD, o que mais aumentou o IDH-M entre os anos 2000 e 2010. Neste último período pesquisado, a pequena cidade tocantinense teve um aumento de 312,93% no Índice de Desenvolvimento Humano por Município. Entre os indicadores positivos, Mateiros apresentou evolução na renda per capita, frequência escolar e houve uma grande redução nos índices de extrema pobreza.

Para o prefeito Julio Mokfa, o potencial turístico do município em virtude do Jalapão é um dos fatores que impulsionaram o IDH-M de Mateiros. Além disso, ele frisou que a cidade ganhou em educação nos últimos anos, apesar das dificuldades. “Muito em função da divulgação do capim dourado nesses tempos. O turismo cresceu muito em Mateiros. Nós também temos bons colégios e a agricultura está crescendo na região da divisa com o Piauí e a Bahia”, explicou.

 

Da ATN

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.

  • Aguarde novas notícias.