publicidade
publicidade
Araguaína-TO, terça, 15 de outubro de 2019
Siga a REDE TO

Municípios

Prefeitura não se pronuncia e greve completa oito dias

18/11/2013 18h25 | Atualizado em: 18/11/2013 18h40

Divulgação Os servidores públicos cobram o pagamento dos salários atrasados de novembro, dezembro e o 13º de 2012

A greve dos servidores municipais de Taguatinga completa oito dias nesta segunda-feira, 18 e até o momento, a Prefeitura Municipal não se manifestou, nem abriu o diálogo com os servidores públicos. Na semana passada, o movimento foi às ruas com diversas ações de mobilização e ganhou o apoio da comunidade. O diretor regional sudeste do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO), Dimar Crisóstomo e seu suplente, Domigos de Souza estão acompanhando as mobilizações.

A decisão de deflagrar greve geral no município foi tomada durante Assembleia Geral Extraordinária Conjunta realizada pelo SISEPE-TO e pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação (SINTET-TO). Os servidores públicos cobram o pagamento dos salários atrasados de novembro, dezembro e o 13º de 2012, do Quadro da Saúde, e pagamento dos salários de dezembro e 13º dos servidores, do Quadro Geral. Eles também lutam pela atualização do Plano de Cargos e Carreiras (PCCR), atualização do Estatuto do Servidor e do Regime Próprio de Previdência, o TaguaPrevi. “O movimento tem o apoio do comércio local e da população. Todos estão sensibilizados com a nossa causa e entendem que é impossível continuar com esse atraso. Precisamos de solução urgente”, afirmou Dimar.

Nesta segunda-feira, os servidores estão concentrados na sede do SISEPE-TO, em Taguatinga, para fazer uma avaliação do movimento e traçar estratégias para os próximos dias. “No dia 13, protocolamos um ofício na Prefeitura solicitando audiência com o prefeito para discutir a situação. Mas, até agora não recebemos resposta”, contou o diretor do SISEPE-TO.

Movimento

Na terça-feira, 19, os servidores irão até à Câmara Municipal para uma grande concentração em prol das reivindicações. Os dirigentes sindicais farão uso da “Tribuna Livre” durante a sessão para esclarecer as dificuldades enfrentadas pelas famílias, em função da falta de pagamento. Os servidores em greve também vão pedir apoio dos vereadores para a reabertura da negociação com a Prefeitura.

Está prevista ainda uma caminhada pelas principais ruas da cidade, tendo como ponto final do trajeto a Prefeitura Municipal. A mobilização acontecerá na próxima quarta-feira, 20.

 

Da Ascom/SISEPE-TO
 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.