publicidade
publicidade
Araguaína-TO, segunda, 16 de setembro de 2019
Siga a REDE TO

Ação Parlamentar

Kátia Abreu se junta a empresários durante seminário na Bélgica

Parlamentar foi anfitriã de jantar oferecido a presidente Dilma

24/02/2014 21h56 | Atualizado em: 25/02/2014 22h26

Roberto Stuckert Filho/PR Kátia Abreu ao lado de empresários em Bruxelas, na Bélgica

A senadora Kátia Abreu participou na tarde de segunda, 24, em Bruxelas (Bélgica), da mesa redonda A Parceria Estratégica Brasil-União Européia: Desarios e Oportunidades. O moderador foi o secretário geral da Eurochambres, Arnaldo Abruzzini. A parlamentar prestigiu também o debate aberto Apresentação do Guia de Investimentos no Brasil 2014, pela gerente executiva de atração de investimentos da ApexBrasil. No período da manhã ainda desta segunda, Kátia Abreu participou da abertura do 7º Encontro Empresarial Brasil – União Européia (Cúpula Brasil-União Européia), em Bruxelas.

No domingo, a senadora Kátia Abreu foi uma das anfitriãs (junto com o presidente da Confederação Nacional da Indústria) de jantar oferecido à presidente Dilma Rousseff com os 30 maiores empresários da indústria e do agronegócio brasileiros. O jantar foi realizado no Steigenberger Grand Hotel. Para a senadora Kátia Abreu, é importante que um acordo entre Brasil e EU seja definido até o próximo mês de maio. Segundo a parlamentar, a negociação pode permitir a abertura de novos mercados aos produtos brasileiros, tanto da indústria como do agronegócio. Além de alavancar os empresários brasileiros a investirem no aumento da produtividade para melhorar a competitividade de seus produtos com os similares europeus. Para o Tocantins, o acordo vai beneficiar, principalmente, os produtores de carne e de grãos.

Em 2013, as exportações brasileiras para a UE alcançaram US$ 47,8 bilhões, e as importações, US$ 50,7 bilhões, resultando num déficit de US$ 3 bilhões. Tanto a Confederação Nacional da Indústria (CNI) quanto a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), também em Bruxelas, pressionam para que um acordo seja assinado logo.

No jantar de ontem,com cerca de 30 empresários brasileiros, a presidente Dilma Rousseff ouviu apelos para que o Brasil acelere as negociações de livre comércio com os europeus. Eles alegam que a demora do Mercosul em chegar um consenso de proposta única atrapalha os planos dos setores brasileiros. A troca de ofertas entre Mercosul e UE deveria ter ocorrido até o fim do ano passado, mas tem sido protelada. Um dos principais entraves é a Argentina, que, em meio à sua crise econômica, resiste em pontos da negociação. Os europeus, por sua vez, também já colocaram obstáculos a um acordo.

 

Da Ascom/Kátia Abreu

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.