publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sexta, 14 de maio de 2021
Siga a REDE TO

Municípios

75 propriedades de Santa Rosa contarão com barraginhas

Obras, iniciadas na semana passada, devem ser concluídas no dia 25

23/08/2017 20h32 | Atualizado em: 25/08/2017 19h46

Divulgação A barraginha é usada para o gado do senhor Vicente de Paula, em Taguatinga, município que assim como Santa Rosa, está localizado na região sudeste do Tocantins

No penúltimo município atendido pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) com o Projeto Barraginhas, Santa Rosa do Tocantins, serão contempladas 75 propriedades da agricultura familiar, distribuídas em dois assentamentos rurais. As obras, iniciadas na semana passada, devem ser finalizadas no próximo dia 25 e conforme o cronograma as máquinas seguem para a última cidade da região sudeste beneficiada pela a ação, Chapada da Natividade.

Assim como nas outras localidades, o Projeto é realizado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural (Ruraltins) e atenderá as famílias do assentamento Bom Jeseus e Carajás. As barraginhas são idealizadas para que impedir que a água da chuva cause erosão e leve a terra para o leito dos rios, resultando no assoreamento, além de penetrar no solo, possibilitando assim a revitalização dos corpos hídricos.

O plano desenvolvido pelos técnicos da Semarh, segundo a secretária Meire Carreira, foi voltado para o atendimento de 17 municípios da região sudeste. “É um território em que o período é muito seco e a falta de água castiga os agricultores. As barraginhas que foram construídas no ano passado já estão ajudando agora o homem que vive no campo. É um projeto com um investimento baixo, porém de alto impacto social e ambiental”, destacou a gestora.

Municípios

Na cidade de Combinado, um dos primeiros municípios atendidos pelo Projeto e que também recebeu 200 barraginhas, a iniciativa mudou a realidade local. “Com a chuva no primeiro semestre as barraginhas guardaram água e hoje ainda tenho para irrigar minha plantação, mas me ajuda muito a matar a sede do meu gado, em anos anteriores já perdi bicho por causada seca”, explicou o produtor rural Jaci Marques de Oliveira, da Fazenda 4 Irmãos.

Já em Taguatinga o agricultor Vicente de Paula, do assentamento Ponta D’Água, relata que o córrego próximo a sua propriedade já secou. “Para que minhas criações não morram são as barraginhas que me ajudam, sem água é muito difícil. Tenho três bacias aqui na minha área que estão sendo minha salvação”, disse.

Projeto

Ao todo estão sendo investidos em torno de R$ 2 milhões, por intermédio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos, para construção de 3.564 pequenas bacias no total.

O Projeto atende ainda os parâmetros da Agenda de Desenvolvimento Sustentável Pós-2015, agora chamada Agenda 2030, que engloba um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos das Nações Unidas e de seus países membros rumo ao desenvolvimento sustentável.

Iniciado em abril de 2016, o Projeto já atendeu até o momento 16 cidades: Taguatinga, Ponte Alta do Bom Jesus, Taipas, Arraias, Novo Alegre, Combinado, Lavandeira, Aurora do Tocantins, Novo Jardim, Rio da Conceição, Dianópolis, Porto Alegre, Almas, Natividade, São Valério da Natividade e Santa Rosa do Tocantins.


                 Com Secom/Governo do TO

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.