publicidade
publicidade
Araguaína-TO, terça, 07 de dezembro de 2021
Siga a REDE TO

Rede 190

Policial é assassinado e suspeito do crime é executado horas depois

23/12/2017 19h14 | Atualizado em: 23/12/2017 20h38

Foto 1: Reprodução/Facebook; Foto 2, 3 e 4: Reprodução/WhatsApp O cabo da PM Rubim Monteiro Lopes, de 33 anos, foi morto a tiros, na noite desta sexta-feira, 22, na rua onde morava, em Porto Nacional, na região central do Tocantins

REDAÇÃO
REDE TO

 

Um policial militar foi assassinado a tiros e pedradas, na noite desta sexta-feira, 22, em Porto Nacional, na região central do Tocantins. O crime aconteceu por volta das 22 horas, na rua onde o cabo da PM Rubim Monteiro Lopes, de 33 anos, morava, no setor Novo Horizonte.

De acordo com a polícia, Rubim estava de folga. Ele foi abordado por criminosos e baleado, perto de casa, quando trafegava de moto. Ao ser atingido por tiros, o PM caiu no chão e foi agredido, em seguida, com pedaços de pau e pedras. Mesmo ferido, o cabo ainda conseguiu atirar contra um dos suspeitos. O cabo foi resgatado com vida, mas morreu três horas depois de dar entrada no Hospital Regional de Porto Nacional. 

O suspeito, baleado na perna, estava sendo encaminhado de Porto para o Hospital Geral de Palmas (HGP), onde passaria por cirurgia, quando a ambulância foi interceptada, segundo a PM, por um grupo armado, na TO-050, na madrugada dese sábado, 23. Daniel Ferreira de Souza foi retirado do veículo e morto a tiros. Na sequência, os atiradores fugiram em um carro preto. O corpo do jovem foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da capital. 

Repercussão

Rubim ingressou na Polícia Militar em 2007 e, atualmente, trabalhava no 5º Batalhão. A morte do cabo causou comoção e revolta em todo o estado. Em nota, a PM declarou que o policial "tinha condutas familiar e profissional admiráveis perante seus amigos e familiares, sempre demonstrando total devoção à nobre missão que lhe foi designada quando ao ingressar na corporação juramentou proteger a sociedade mesmo com o sacrifício da própria vida". 


Além de militar, Rubim também cursava Geografia no câmpus da Universidade Federal do Tocantins em Porto Nacional. Também em nota, a UFT lamentou a morte trágica do cabo. 

O PM era casado, tinha uma filha e a esposa aguardava outra criança. 

Buscas por suspeitos

A polícia faz buscas aos outros suspeitos de envolvimento com o assassinato do cabo Rubim. Em um comunicado, uma associação de cabos e soldados está oferecendo R$ 5 mil por informações que possam levar ao paradeiro dos criminosos. "Esses elementos precisam ser presos, apresentados a justiça e condenados pelo que fizeram", afirma o presidente da entidade, Neuzimar Ferreira. 

As denúncias podem ser feitas através do telefone (63) 3363-5539 ou pelo 190. A identidade do denunciante será mantida em sigilo. 

Acidente

A caminho do velório do cabo Rubim, uma viatura da Força Tática da Polícia Militar acabou capotando depois de colidir com um carro de passeio. O acidente aconteceu na tarde deste sábado, 12, no centro de Porto Nacional. Os dois PMs que estavam na viatura sofreram ferimentos leves e foram levados para o regional da cidade. O condutor do outro veículo saiu ileso. 


 

Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.

  • Aguarde novas notícias.