publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sexta, 25 de junho de 2021
Siga a REDE TO

Estado

Tocantins registra aumento de 10,8% em crimes violentos

01/02/2021 18h22 | Atualizado em: 09/02/2021 18h29

O setor da Segurança Pública ficará marcado pela redução de alguns significativos indicadores de criminalidade no biênio 2019-2020. Dentre eles, os Crimes Contra o Patrimônio (CCP), compreendidos por roubos e furtos; e Crimes Contra a Dignidade Sexual (Estupro e Estupro de Vulnerável).

No comparativo anual, o Balanço das Estatísticas Criminais, disponibilizado nesta sexta-feira, 29, apresenta queda de 35,1% dos crimes de roubos e furtos, sendo 22.195 em 2019 contra 14.413 em 2020. No mesmo período, houve queda de 8,1% dos crimes de estupro e estupro de vulnerável (700 em 2019 e 643 em 2020).

Disponibilizado ao público no site da Secretaria de Estado da Segurança Pública – www.ssp.to.gov.br
, o levantamento traz também os indicadores dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), composto por homicídio, latrocínio, feminicídio e lesão corporal seguida de morte. Em comparação a 2019, houve aumento de 10,8% em 2020. Foram 337 homicídios em 2019 contra 378 em 2020. Os feminicídios somaram cinco em 2019 e nove em 2020. Redução nos Latrocínios – 20 em 2019 e três a menos em 2020; e na lesão corporal seguida de morte – nove em 2019 e duas a menos em 2020.


Forças de Segurança

O Balanço das Estatísticas Criminais apresenta também a produtividade das forças de segurança pública (Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Civil). No balanço divulgado nesta sexta-feira, 29, estão disponíveis os dados do 4º trimestre do ano de 2020 (outubro-novembro-dezembro) e o comparativo anual 2019-2020.

O objetivo da divulgação é dar transparência aos indicadores das forças de segurança pública (Polícia Militar e Civil e Corpo de Bombeiros Militar). Cabe ressaltar que os dados fornecidos pela Polícia Militar em sua produtividade estão relacionados aos atendimentos de ocorrências e ao seu acionamento, não estando, dessa forma, em contraposição aos indicadores gerais apresentados pela Secretaria da Segurança Pública na primeira parte do Balanço das Estatísticas Criminais.

Indicadores da Segurança Pública também apontam redução de roubos e furtos no 4º trimestre de 2020

De modo semelhante ao Balanço Anual, o levantamento da Segurança Pública referente ao 4º trimestre Out-Nov-Dez (comparativo 2019/2020) também apresenta redução nos indicadores dos Crimes Contra o Patrimônio (CCPs) e Contra a Dignidade Sexual. Houve queda de 39% nos CCPs, com 2020 apresentando 2.106 casos a menos de furtos e roubos; e redução de 21,8% nos crimes de estupro e estupro de vulnerável, com 2020 registrando 42 casos a menos que o mesmo período de 2019.

Foi observado aumento nos indicadores comparativos de CVLIs no 4ª trimestre de 2019-2020. Em 2019 foram registrados 87 homicídios contra 109 em 2020. No mesmo período, houve registro de um feminicídio em 2019 e dois em 2020. O 4º trimestre apresentou estabilidade no número de casos de latrocínio (dois para cada ano) e lesão corporal seguida de morte, também dois para cada ano.

Sistema Integrado de Metas

Para o secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, o balanço anual e os dados do 4º trimestre refletem o trabalho das forças de segurança no Tocantins. Segundo ele, ainda que 2020 tenha registrado aumento dos crimes contra a vida, deve-se valorizar as significativas reduções aferidas nos crimes contra o patrimônio e crimes contra a dignidade sexual.

Para este ano, a expectativa do secretário Cristiano Sampaio é de que os indicadores de criminalidade apresentem curva descendente. Segundo ele, com a implantação do Sistema Integrado de Metas e do Sistema Estadual de Inteligência da Segurança Pública, o Governo do Tocantins proporcionará à população uma resposta mais efetiva no combate aos crimes. “Os indicadores de criminalidade serão acompanhados de forma sistemática, com análise dos dados e planejamento de ações pontuais nos locais onde houver maior concentração de crimes”, aponta o Secretário.

Em complemento às informações do balanço e já trabalhando com análise mais aprofundada dos dados criminais, o secretário Cristiano Sampaio destaca que 79 dos 139 municípios tocantinenses cumpriram em 2019-2020 a meta de redução de 6% de ocorrência de CVLIs. Ressalta também que no ano passado não houve registro de homicídios em 37 municípios tocantinenses. Em relação aos crimes contra o patrimônio, 88 municípios também cumpriram a meta de redução de 6% no biênio 2019-2020.

Polícia Militar registra redução no atendimento a ocorrência mais frequentes, como furtos e roubos

Por meio do policiamento ostensivo e preventivo, a Polícia Militar realizou em todo Estado 80 operações em 2020. O ano também foi marcado pela redução no atendimento a ocorrências mais frequentes, com destaque para furtos e roubos. No Comparativo 2019 e 2020, o balanço efetuado pela Polícia Militar aponta que furto de veículo automotor teve queda de 932 ocorrências em 2019, para 688 em 2020, totalizando uma redução de 35,4%.

O furto em estabelecimento comercial, por sua vez, caiu 7,5%, passando de 1.020 ocorrências em 2019 para 948 em 2020; furto em residência também registrou queda de 39,3%, com 2.027 ocorrências em 2019 para 1.455 em 2020. Quanto aos atendimentos de roubo a veículo automotor, foram 627 ocorrências em 2019 e 596 em 2020, queda de 5,2%; roubo a estabelecimento comercial também teve uma expressiva redução de 68,6%, com 560 ocorrências atendidas em 2019 para 332 em 2020 e roubo a residência de 381 ocorrências em 2019 para 268 em 2020, uma redução de 42,1%.

Em relação ao atendimento das ocorrências envolvendo tráfico de drogas, a Polícia Militar contabilizou 325 ocorrências em 2019 e 394 em 2020, um aumento de 21,2%; no que concerne ao porte de drogas foram 103 atendimentos a ocorrências em 2019 e 82 em 2020, redução de 25,6%; localização e apreensão de drogas de 22 contabilizados em 2019 para caiu para 09 em 2020, uma queda de 44,4%.

Os crimes violentos (latrocínio, homicídio e tentativa de homicídio) mantiveram a mesma média nos dois anos, sendo registrados 797 atendimentos de ocorrências desta natureza em 2019 e 791 em 2020. De igual forma, os crimes de estupro e estupro de vulnerável, tendo sido somaram 86 atendimentos a ocorrências em 2019 e 91 em 2020. Sobre a prisão de pessoas, em 2019 foram 1.125 e em 2020 foram 886 pessoas detidas, caiu 26,9%. Já a apreensão de menores de idade somou 449 em 2019 contra 322 em 2020, uma queda de 39,4%.

No que diz respeito à gestão e operacionalização de ocorrências, a PM está em fase de implantação do PMTO MOBILE que além de agilizar os atendimentos de ocorrências, também irá ampliar a base de dados, diminuindo assim, os números de subnotificações que provocou um ajuste nos dados cadastrados desde 2019.

Segundo o comandante geral da PMTO, coronel Jaizon Veras Barbosa, o ano de 2020 trouxe grandes desafios à corporação que além de continuar todo trabalho ostensivo e preventivo, passou a auxiliar também nas medidas de segurança em apoio aos órgãos da saúde. O resultado de todo trabalho se refletiu em mais segurança para a população.

Polícia Civil fecha 2020 com aumento de 36% em inquéritos instaurados

A Polícia Civil fecha o ano de 2020 com sua produtividade em alta. No comparativo, anual, houve um aumento de 36% nos Inquéritos Policiais (IPs) instaurados por portaria e por flagrante. Foram 12.899 IPs em 2019 contra 17.539 em 2020, um aumento absoluto de 4.640 IPs. Os autores presos somaram 4.244 em 2019 e 4.188 em 2020. No comparativo do 4ª trimestre de 2020 houve aumento de 5,3%. Foram 3 mil casos em 2019 contra 3.158 em 2020. Os autores presos somaram 1.260 em 2019 e 1.002 em 2020.

Veículos Recuperados

O levantamento apresenta curva descendente na recuperação de veículos. As reduções verificadas no balanço anual e no 4º trimestre são consequência da queda apresentada nos crimes de furtos e roubos (36%). Foram recuperados 725 veículos em 2020 contra 854 em 2019, redução de 15,1%. No 4º trimestre, a redução desse indicador foi de 33,7%, tendo sido registrada a recuperação de 161 veículos, 82 a menos que o ano anterior.

Quanto aos casos de Posse/Porte de Arma de Fogo, o 4º trimestre registrou 154 casos, 31 a menos que o mesmo período de 2019 (16,8%). No balanço anual, a queda foi de 13,6%, tendo em 2020 registrado 588 casos, 89 posses e portes de arma de fogo a menos que em 2019.

No comparativo 2019-2020, o número de apreensões de armas de fogo e branca foi mantido, sendo registradas 2.823 apreensões em 2019 contra 2.864 em 2020, 41 armas a mais. Na comparação do 4º trimestre, foram apreendidas 748 armas em 2019 e 757 em 2020. Os registros relacionados ao combate ao tráfico de drogas apresentaram redução de 12% no comparativo do 4º trimestre 2019-2020. Foram 242 ações em 2019 contra 212 em 2020. No comparativo acumulado dos dois anos, houve redução de 3,4%. Foram 807 em 2019 contra 834 em 2020.

Operações

Ao longo de 2020, operações de combate ao crime foram realizadas pela Polícia Civil, algumas de forma integrada e com maior frequência com a Polícia Miliar. Foram elas: Paz e Sossego, Balada Segura, Pandemic, Dolos, Outubro Incruento (para redução de homicídios), Vetus (crimes contra a pessoa idosa) e das eleições municipais. No interior, entre outras operações, foram realizadas a Carnaval Seguro, Marias, Senhor do Bonfim, Caripó, Óbulo de Caronte, Insidiis, Sabadou e Independência Prolongada e Mãos Amigas.

Operações também foram desencadeadas contra o crime organizado, com destaque para a Guerra Justa contra criminosos especializados em roubo a carros fortes; Operação contra possível esquema de propina no Naturatins; e Bricklayer contra sonegação fiscal em empresa no distrito de Luzimangues. Contra o tráfico de drogas, destaque para as operações Cálice de Hígia, Hidra de Lerna, Jericó, Víbora, Drogas Sintéticas, Tráfico Interestadual e Leardship, 1ª e 2º fase da Rosetta, Perfil Oculto e Attack Mestre, entre outras.

Superação

Na análise da delegada-geral da Polícia Civil, Raimunda Bezerra de Souza, o balanço anual e do 4º trimestre de 2020 são reveladores do quanto as forças de segurança pública no Tocantins têm trabalhado no combate à criminalidade do Tocantins. De acordo com ela, de forma integrada, as Polícias Civil e Militar superaram as dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19 e o resultado foi a redução de diversos indicadores, com destaque para os crimes contra o patrimônio. “Para este ano, com a execução do Sistema Integrado de Metas, nossa expectativa é de uma redução ainda maior. Com a força de nossas corporações e com o Sistema Estadual de Inteligência, nossa população terá melhores instrumentos para apuração dos crimes organizados”, observou Raimunda Bezerra de Souza.

Em 2020: covid-19 provoca quedas gerais nos índices de atendimento do Corpo de Bombeiros Militar

No levantamento realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar foi constatada queda nos percentuais de atendimento em 2020. O fato se deve a influência do novo coronavírus, a covid-19, que obrigou mudança de comportamento da população com isolamento social e novas estratégias de atendimento ao público no setor administrativo e operacional da corporação.

O comando do CBMTO analisou que, apesar da pandemia, as escalas de plantão e as demais estruturas de trabalho foram readequadas para manter os serviços de operacionais em pleno funcionamento e os serviços administrativos organizados para atender os casos mais urgentes e flexibilização de prazos no tocante a projetos de engenharia, sem perder a qualidade e a segurança nos resultados.

A diminuição dos índices ocorreu em todos os setores de trabalho. Nas Ações Operativas, a variação no percentual comparando 2019 e 2020, houve queda de 17,19%. No período sem a pandemia, em 2019, o setor empreendeu 13.360 atendimentos, contra 11.063 ações em 2020.

Outras atividades de prestação de serviço como no Atendimento Pré-Hospitalar, ocorreram 7.895 em 2019 e em 2020 foram atendidas 5.780 ocorrências nessa área. No combate a incêndio, em 2019 foram registrados 2.001 contra 2.049 em 2020. Atividades Educativa e Preventiva: 1.658 em 2019 contra 920 em 2020. Busca e salvamento: 1.759 em 2019 contra 1.636 em 2020. Produtos perigosos: 47 em 2019 contra 42 em 2020.

No setor de projetos de engenharia que envolve análises, vistorias, inspeções entre outras ações, a Diretoria de Serviços Técnicos (Distec) registrou uma queda nos índices de 25,11%. Os números totais são de 14.166 atendimentos em 2019, contra 10.609 em 2020.

Os levantamentos são referentes ao período de 01 de janeiro a 31 de dezembro (2019 e 2020) para os fins comparativos.

Da Secom/Governo

Leia sobre: FurtoRouboSegurançaTocantins
Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.