publicidade
publicidade
Araguaína-TO, sábado, 24 de julho de 2021
Siga a REDE TO

Estado

TO e MA têm ritmos diferentes de vacinação contra a covid-19

11/06/2021 12h41 | Atualizado em: 14/06/2021 16h13

Divulgação Vacinação por idade já foi retomada no Maranhão, com mutirões na capital e em cidades do interior; no Tocantins, imunização por esse critério foi anunciada apenas nas duas maiores cidades
REDAÇÃO
REDE TO - DANIEL LÉLIS



O ritmo de vacinação contra a covid-19 no Tocantins é lento se comparado a estados vizinhos como o Maranhão. Enquanto no território maranhense, inclusive em cidades do interior, a imunização está sendo ampliada para a inclusão de pessoas com menos de 60 anos sem comorbidades, nos municípios tocantinenses, o critério de idade, embora haja previsão, ainda não voltou a ser aplicado, apesar de autorização do Ministério da Saúde.

No Tocantins, as doses vem sendo aplicadas, basicamente, em pessoas com comorbidades, incluindo gestantes, pessoas com deficiência permanente, profissionais da Saúde, da Educação e integrantes das Forças de Segurança, Salvamento e Forças Armadas. Dos 139 municípios, apenas Palmas e Araguaína anunciaram o retorno da vacinação por idade. A capital, porque irá receber, segundo a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB), 21 mil doses da vacina Janssen.  

Comparativo númerico

De acordo com o Vacinômetro, o Tocantins já recebeu 681.250 doses de três tipos de vacina: Coronavac, AstraZeneca e Pfizer. Deste total, 643.041 foram distribuídas para os municípios, o que corresponde a 94,3% do total. 426.570 foram aplicadas, isto é, 66,3%. 19,10% da população recebeu ao menos uma dose de um dos imunizantes disponíveis.

Por ser mais populoso que o Tocantins, o Maranhão já recebeu 2.669.037 doses de vacinas. 2.128.123 já foram aplicadas, o que corresponde a 79,7% das doses que chegam ao estado vizinho, conforme dados da Secretaria de Saúde maranhense. 22,07 % da população local receberam ao menos uma dose do imunizante. 


Realidades diferentes

O ritmo lento de vacinação no Tocantins se deve a vários fatores, entre eles a demora para a chegada de novas doses, a demora para a distribuição dos imunizantes - a entrega é feita semanalmente, a dificuldade de acesso a algumas localidades e a recusa de muitas pessoas que fazem parte dos públicos-alvo de receberem a vacina. 

Os dois polos de distribuição de vacina no Tocantins ficam em Palmas e Araguaína. Nestas cidades, que os representantes devem ir para buscar as doses. Segundo apurou a REDE TO, alguns municípios demoram ir buscar as doses. Outros têm dificuldade para acompanhar o andamento da vacinação, atrasando o envio de dados para o sistema da Secretaria de Estado da Saúde. Há também alguns que aguardam vários dias pelo comparecimento do público-alvo, muitas vezes incrédulo em relação a vacina por causa de fake news.

A REDE TO conversou com autoridades de saúde do Maranhão para saber porque as secretarias locais têm ampliado o público-alvo com mais frequência que no Tocantins. 

Leonardo de Sousa, secretário de Saúde de Carolina, no sul do Maranhão, afirma que a logística de distribuição das vacinas no território maranhense é um dos fatores que explicam uma maior rapidez na aplicação das doses. "Eu vejo por parte do Governo do Maranhão uma logística eficiente, chegando vacinas no estado eles são bem ágeis na distribuição aos municípios. E também eles colocaram metas aos municípios para que possamos receber as vacinas. Daí dar uma forçada para que o município se esforce para vacinar", explicou. 

Compra de vacinas

O Tocantins e o Maranhão ainda não conseguiram comprar vacinas contra a covid-19, dependendo, ainda, exclusivamente, do governo federal para a distribuição de doses. Ambos tinham interesse na aquisição da Sputnik V, mas com a autorização da Anvisa de importação do imunizante apenas para testes, o governo tocantinense decidiu adiar o processo de compra de 1 milhão de doses.  O governo do Maranhão, por sua vez, afirmou que o contrato de compra do imunizante, que previa a aquisição de 4,5 milhões de doses, será reprogramado para garantir que os lotes atendam os procedimentos técnicos fixados pela agência.  

Medidas para agilizar a vacinação

A REDE TO entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins para saber quais medidas estão sendo tomadas para agilizar a vacinação contra a covid-19. Em nota, a SES declarou que "segue, estritamente, o Plano Nacional de Imunização (PNI) e o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19 (PNO), do Ministério da Saúde (MS), o qual define os grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19 e distribui as doses, baseadas nas orientações e informes técnicos do órgão federal".

A SES informou ainda que repassa os imunizantes contra a Covid-19, aos municípios - responsáveis pela aplicação das doses - e orienta a completarem o processo de vacinação no menor prazo possível, respeitando o intervalo preconizado pelos fabricantes das vacinas.



Leia sobre: Covid-19MaranhãoNúmerosPandemiaSaúdeSESTocantinsvacinas
Obs.:

A REDE TO coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático. Obrigado.